Harry Potter and The Cursed Child: A Peça

Oi genteee,

Esse é pra quem é maluco por viagens e por Harry Potter!!!

Sim, eu vim para Londres assistir a peça Harry Potter and The Cursed Child. Comprei na pré-venda com milhões de anos de antecedência, mas o dia finalmente chegou! Dia 11/01/2017, partes 1 e 2 no Palace Theatre, localizado na Shaftesbury Avenue, no Soho, em Londres.

O preço dos ingressos variava de acordo com o lugar no teatro. Tinha desde £30 até £130, pelas duas partes. A peça ficou dividida em parte 1 e 2, cada uma com 1h e 45min de duração, podendo ser vistas em sequência no mesmo dia ou em dias separados.

Pra quem acaba sentando muito longe, tem aqueles binóculos que podem ser alugados por £1. Em cada parte eles dão aqueles 15 minutinhos normais de intervalo para ir ao banheiro e comprar comida/bebida.

E, como todos sabem, pediram para que não filmássemos ou fotografássemos a peça. A gente ganha até um broche com a hashtag oficial #KeepTheSecrets, pra ninguém sair divulgando por aí detalhes da peça.

É uma pena, porque a minha vontade é contar tudo!!! Mas vamos ao que eu acho plausível divulgar 🙂

1. Atenção

Pra quem leu o livro, a peça é bem fiel (já que é o seu roteiro) e passa bem rápido. Piscou, perdeu. Tem que estar atento a todos os diálogos! Se você não sabe o suficiente de inglês, pelo menos leia o livro antes, ou não vai conseguir entender muito da peça. Tem que ir preparado.

2. A peça tem vários efeitos especiais!!!

Não poderia ser diferente com a J.K., mas realmente me surpreendeu. No teatro, muitas vezes você tem que usar a sua imaginação pra colaborar com o cenário, já que não tem todo o apelo visual que o filme tem. Só que eles fizeram com que tudo realmente parecesse mágica! Efeitos sonoros, jogo de luzes, truques… Tudo muito bem pensado pra trazer a mesma sensação dos filmes. Foi mágico <3

3. A peça é muito melhor que o livro

Os amantes da leitura devem estar me achando louca agora, mas é a primeira vez que eu falo que o filme/peça é melhor que o próprio livro. Quando eu li o livro, amei estar voltando para esse mundo mágico que a J.K. criou, mas a história não tinha exatamente tocado o meu coração. Eu nem senti simpatia pelo Albus Severus, o filho do Harry. Na verdade achei ele um chato. Só que na peça, com a atuação de cada um, você entra mais no espírito da coisa… E como o livro foi feito em forma de roteiro para a peça, eu entendi que esses detalhes foram deixados para a atuação mesmo. E conquistaram. O que cada ator fez no palco com o seu personagem foi apaixonante! (Lembrando que essa é a minha opinião, hein?)

4. A Hermione negra

Não podia deixar essa polêmica passar, né? O que eu achei foi: quando ela entra em cena, você leva 1 segundo para lembrar que é a Hermione. Isso porque os outros atores da peça tem características físicas parecidas com os atores dos filmes, então você já associa de primeira. Mas isso não quer dizer nada, porque nas falas dela você podia ver a essência da Hermione que já conhecíamos. E isso é o mais importante.

5. Parte 1 x Parte 2

Na parte 1, meio que mostra uma introdução da vida deles nesse ponto da história (“19 anos depois”) e passa rapidinho até o quarto ano do Albus Severus, filho do Harry com a Gina, em Hogwarts – junto com o Scorpius Malfoy, seu melhor amigo; e Rose Granger-Weasley, sua prima. Depois disso, começa a problemática da história ligada aos dilemas de Albus com o pai e com a escola. A parte 1 termina com tudo dando bem errado…

A parte 2 volta de onde a 1 parou, em uma era das Trevas. E aí começam a tentar consertar o que deu errado, tudo girando em torno da temática da viagem no tempo (assim como a Hermione fez brevemente no filme O Prisioneiro de Azkaban). E volta 20 anos, e volta de novo, e volta mais uma vez, aí volta sem saber pra onde voltou, aí descobre que é há 40 anos, e fica tudo parecendo aquele filme do Leonardo DiCaprio em que ele entra no sonho do sonho e você já não entende mais nada. Então atenção nas datas importantes pra não boiar kkkk.

Fotos do palco na hora dos intervalos.

Será que eu contei demais? Espero que não! E na saída ainda tem uma lojinha pra comprar lembrancinhas, camisas, uma revista da peça e etc.

A peça também está sendo levada para a Broadway, em NY, e agora essa maravilhosidade toda está aberta a mais um lugar e a mais visitantes! Se você não consegue perder (assim como eu), saiba que tickets ainda são liberados de vez em quando, então não perca as esperanças! Visite aqui o site da peça.

Então é isso, Potterheads! E agora continuamos esperando a continuação dos filmes Fantastic Beasts pra alimentar esse vício! Né?

 

Isabel Costa

O (eu) implícito do "venho por meio deste".

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *