Londres: Camden Town

Camden Town é um distrito de Londres, na Inglaterra, servida por uma rede de canais. Antigamente, tratava-se de um bairro industrial, mas essa função foi substituída pelo comércio e entretenimento. Hoje é conhecida pelos seus diversos mercados, restaurantes, pubs, lojas de rua, locais de música e cultura alternativa.

Uma coisa que eu acho muito legal em Londres é que ninguém te “repara”. A sociedade é bem liberal e não se preocupa com padrões. Você pode pintar o cabelo com aquelas mil cores da moda unicórnio, se inspirar na vovó do verde (conhecem?), ou andar igual a um vampiro gótico que ninguém vai ficar te olhando da cabeça aos pés. E Camden é justamente sobre isso.

  • Quando ir:

Em qualquer época do ano, principalmente nos finais de semana, quando todas as lojas estão abertas. Tem mais movimento aos Domingos. No inverno, atenção: as lojas fecham mais cedo.

  • Por onde chegar:

Saia pela estação de metrô Camden Town (Northern Line) e vire à direita na Camden Street.

  • Mercados:

Siga em direção ao primeiro mercado, o Camden Market, que faz esquina com a Buck Street. Esse não é coberto, é composto por várias barraquinhas com cara de Centro da cidade mesmo (o Saara no Rio ou a 25 de Março em SP). Eu garimpei uns vestidinhos no verão e até hoje quando uso fico pensando em como eles tem uma carinho européia mesmo! Se não me engano, foram £20 nos dois.

Do lado oposto a esse primeiro, saindo da Camden Street, temos o Inverness Street Market, onde são vendidas frutas e verduras e foi criado com foco na comunidade local mesmo. Nem dei atenção pra esse haha. #fatness. Nessa rua também fica o restautante Made In Brazil, com feijoada, picanha, e etc.

Voltando a Camden Street, você já vai ver várias lojas de rua, inclusive de marca. As minhas preferidas são a VANS e a Urban Outfitters, e umas farmácias que vendem várias makes que nem tem no Brasil. Também poderá ver estúdios de piercing e tattoo, lojas de fantasia e de bugingangas, souvenirs e roupas naquele estilo “fui a Londres e lembrei de você”, antiguidades e peças vintage, camisas engraçadas ou de séries e filmes, e etc.

Dica: as mesmas lembrancinhas que vendem em pontos turísticos são vendidas aqui, só que muito mais baratas. A não ser que você encontre uma em estilo bem único, espere e deixe para comprar em Camden!

Na altura do Regent’s Canal, está o Camden Lock Village. A seção gastronômica é bem divertida, com comidas e quitutes de vários lugares do mundo. Comida mexicana, tailandesa, chinesa, e até brasileira. Não precisa sentir saudade de coxinha e Guaraná Antártica em Londres!

Em frente ao Village (do outro lado da rua) e ainda beirando o canal, chegamos ao Camden Lock Market. É bem fácil de achar, pois o nome fica escrito em letras enormes em um tipo de passarela em frente ao canal. Nesse ponto, a Camden Street já vira Chalk Farm Road.

Pra mim, esse é o melhor mercado. A parte aberta dele se chama West Yard e a coberta, Market Hall. Aqui tem um milhão de semi jóias lindas! Comprei muitos anéis e brincos, mas a diversidade é enorme, tem quadros decorativos divertidos; cachecóis e casacos para o inverno; roupas antigas; pinturas; livros; lojas “good vibes” pra comprar incensos, pedras e filtro do sonhos; e por aí vai…

Do lado de fora dele, há varias lojinhas de roupas vintage e sapatos diferenciados. Eles vendem coturnos igual a gente vende Havaianas pelo Rio de Janeiro, sabe? A cada esquina de Camden, tem.

Depois, saindo pela parte de trás do Camden Lock Market, você vai logo ver o Stables Market. Ele era um antigo hospital para cavalos, por isso o nome. Aqui os produtos são mais “rústicos”. Bolsas de couro, antiguidades, roupas trabalhadas à mão, móveis de madeira, etc.

Se você andar até o fim dele, vai reparar que fica quase colado na estação de metrô onde termina Camden Town, a Chalk Farm Station.

Passando da entrada desse mercado, chegamos a uma loja/club super diferente chamada Cyberdog. A entrada também é bem fácil de achar, com dois robôs gigantes na frente. Você entra na loja e tem umas fumacinhas, luzes, música eletrônica e dançarinas em “camarotes” no alto. Teoricamente não pode filmar nem tirar foto lá dentro, mas a gente sempre dá um “jeitinho” né.

  • Quem já viveu aqui:

O escritor Charles Dickens, o cantor Morrissey, a cantora Amy Winehouse e diversos outros pintores e dramaturgos. A Amy, que viveu e morreu em Camden, ganhou até uma estátua de bronze.

Nessa localidade, você pode descer para mais barraquinhas, mas dessa vez no subterrâneo.

  • Onde comer:

Se for para um lanchinho, há diversas opções, mas os meus preferidos são o Blu Top Ice Cream no verão; e no inverno, a barraquinha que vende sonhos (aquele estilo padaria mesmo, só que maior ainda) e donuts na saída do Camden Lock Market (na parte de trás mesmo, na ruazinha Camden Lock Pl).

Já para um almoço ou jantar, das duas vezes em que estive lá, optei pelo Poppies Fish & Chips, na 30 Hawley Cres. Por toda Camden há placas com propaganda desse restaurante, dizendo ter sido eleito o melhor fish & chips de Londres. E de todos os que eu provei, é mesmo! Quando você escolher esse prato, eles vão perguntar se você quer o “haddock” ou o “cod”. O primeiro é peixe mesmo; já o segundo, é feito com bacalhau.

Apesar de ser um prato individual, serve facilmente duas pessoas! A dica é pedir só um para dividir, e depois, se ainda estiverem com vontade de comer mais, pedir outro. Da primeira vez, eu estava morrendo de fome e comi sozinha; mas dessa última, eu comi só metade e já estava satisfeita. É bem servido, mas tudo depende do tamanho da fome, né? rs.

E além do peixe com fritas sequinho e delicioso, o restaurante é uma graça! Decorado estilo anos 50, tem jukebox, garçons vestidos a caráter, e algumas noites tem música ao vivo. Uma banda vestida com roupas de época (suspensórios, gravatinha borboleta, chapéus, etc.) tocou quando eu estava lá.

O pôster do quadro acima é, na verdade, da época da Segunda Guerra Mundial (ou uma réplica, claro). Durante esse período, era comum os governos convocarem publicitários para fazer “propaganda” da guerra. Os cartazes foram importantes para informar, seduzir e convencer o povo, e existem vários que ficaram famosos até hoje.

Lembra dos icônicos “Keep Calm & Carry on”, “We Can Do It” e o “I Want You” com o Tio Sam? Propaganda do Hitler para acalmar o povo alemão; os EUA querendo motivas as mulheres a trabalhar em fábricas para ajudar na guerra; e convocação para o exército americano – respectivamente. O da foto também é da Alemanha nazista, mas contra o governo: “Hitler não vai mandar um aviso, então sempre carregue a sua máscara de gás”, feito por um Ministro anti-nazista tentando alarmar as pessoas sobre os perigos da guerra.

  • Onde beber:

O The Hawley Arms Pub é o mais famoso da região, pois é o local era o preferido da Amy Winehouse. Ele fica na Castlehaven Road, 2. No inverno, com as luzinhas de Natal e a atmosfera calma do lugar, pode ser bem aconchegante. Luz baixa, cadeiras de couro, paredes de tijolinhos… Um charme. Porém, é claro, vive cheio.

Na época em que a Amy frequentava, dizem que ela passava para o lado de dentro do balcão para servir os clientes e às vezes até cantava! Quase uma “segunda casa” pra ela. Apesar disso, os donos não encheram as paredes com homenagens a ela, deixaram tudo muito discreto. Só uma bonequinha, uma foto autografada, e pronto. Ah, e pra finalizar, a Amy “aparece” na janela observando quem entra e quem sai!

  • Arte de rua:

Na rua principal há alguns graffitis na parte de cima das lojas, mas a maior parte fica nas ruas adjacentes. Não precisa nem andar muito, é só ir entrando que já dá para vê-los. Aqui estão alguns:

Esse da criança pegando dinheiro do chão fica bem em frente ao The Hawley Arms Pub.

Mas o mais legal de longe é o que fica perto da estátua da Amy Winehouse e nos fundos da Cyberdog e do Stables Market:

Apaixonei ?

  • Duração da visita:

Camden Town é grande em diversidade e é um lugar onde é fácil de passar o tempo. Se for a sua primeira ida a Londres e o tempo estiver curto, separe pelo menos um fim de tarde para conhecer e comer por lá. Se a visita a cidade não estiver assim tão corrida, o meu conselho é separar o dia inteiro. Não vai faltar o que ver, fazer e comer!

No final do passeio, você pode descer até o canal e pegar um barquinho para tirar umas fotos. Infelizmente não tenho isso no meu arquivo para mostrar aqui, já que das duas vezes em que eu visitei Camden, não sobrou tempo nenhum para fazer isso :(. As compras e comidas me distraem muito pelo caminho!

Quem sabe na próxima?

Isabel Costa

O (eu) implícito do "venho por meio deste".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *